5 verdades obscuras que a industria tecnológia esconde de nós

5 verdades obscuras que a industria tecnológia esconde de nós

A população do planeta está a cada dia que passa mais dependente de tecnologia eletrónica. Para dirigir os rumos da sociedade, a indústria de tecnologia está a crescer de forma que poucas pessoas conseguem realmente imaginar.

Novos aparelhos inundem o mercado a cada ano, e as empresas de tecnologia de topo como Apple, Microsoft, Google, IBM, HP, Cisco, entre outros, estão no raking das que mais lucram e quebram recordes ano após ano. Mas o nosso vício em tecnologia está a matar a nossa atmosfera, a nossa água, populações indígenas, e, a longo prazo, a nossa economia.

Conheçe 5 verdades por trás da gigante indústria da tecnologia que são pouco mencionadas

Trabalho Infantil

103-600x399

Muitas indústrias ainda, infelizmente, utilizam mão de obra infantil para aquisição de matérias-primas e produtos usados na produção em massa. Na República Democrática do Congo, por exemplo, o trabalho infantil tem se intensificado na última década devido ao aumento da demanda de minerais como cobalto e cobre. Pelo menos 40.000 crianças são obrigadas a extrair os minerais para fabricar nossos smartphones, tablets e laptops.

Mortes

113-600x400

Muitas mortes acontecem no meio do processo de produção de produtos tecnológicos. E isso tudo é ocultado do grande público. De acordo com um relatório da Organização das Nações Unidas, as empresas norte-americanas que compram os minerais explorados de forma ilegal servem como motor de conflitos em países como Ruanda onde diversos genocídios acontecem por causa da disputa por matéria-prima.

Suicidio

124

As condições de trabalho em algumas fabricantes de electónica no exterior são tão maus que os fabricantes como a Foxconn chegaram a instalar redes anti-suicídio nas fábricas após uma onda de suicídios tomar conta da indústria em 2010, principalmente na China.

Remuneração dos trabalhadores

133

Vamos usar o caso mais conhecido como exemplo: a fábrica da Foxconn na China. As condições de remuneração e de trabalho na Foxconn são tão insuportáveis que 5 por cento da força de trabalho – cerca de 24 mil pessoas – saem da empresa todo mês. De acordo com o New York Times, um trabalhador da Foxconn ganha 17 dólares por dia, a trabalhar 70 horas por semana.

Enquanto isso, o CEO da Foxconn, Terry Gou, tem um patrimônio líquido de 5,9 bilhões de dólares. Isso significa que o empregado médio Foxconn teria que trabalhar 347 milhões de dias, ou 951 anos para ter tanto dinheiro como seu principal executivo. E se isso não fosse mau o suficiente, os trabalhadores da Foxconn são multados apenas por falar no trabalho.

Centenas de pessoas trabalham nas oficinas, mas eles não estão autorizados a falar uns com os outros, disse o pesquisador chinês Zhu Guangbing ao The Telegraph. Se falares, és notificado pelo gerente. E pode também pode ser multado.

Meio Ambiente

14

Cerca de 95 por cento dos “minerais de terras raras” utilizados em smartphones e laptops são produzidos no norte da China. Mas, a Mongólia detém 70 por cento das reservas mundiais destes minerais. Os resíduos dessas operações de mineração saem de tubos em Baotou – uma região da Mongólia na fronteira norte da China – onde alguns lagos tóxicos abrangem mais de 5 quilômetros de diâmetro.

Fonte: Factos desconhecidos.

Gostaste deste artigo? Então partilha com os teus amigos nas tuas redes sociais.

Vê também:

Um cheirinho do que será a quarta revolução industrial

Os 10 países mais produtores de ferro do mundo

Estas novas tecnologias devem transformar o mundo na próxima década