Bebe que nasceu com intestinos fora do corpo é salva após nascer e ser envolvida em pelicula aderente

Bebe que nasceu com intestinos fora do corpo é salva após nascer e ser envolvida em pelicula aderente

 

pequena e sorridente Maisie Tobin parece um bebe normal de quatro meses. Porém, ela tem muita sorte de estar viva depois ter nascido com uma condição rara que fez com que seu abdómen não se formasse adequadamente. Ela nasceu com os intestinos do lado de fora de seu corpo.

 

Seus pais, Chloe e Joe, foram informados de que seu bebê teve Gastrosquise, uma malformação fetal causada por um defeito na parede abdominal, tendo uma abertura na região do abdómen. Já no terceiro mês de gestação, detectaram o problema através de exames. Assim, a gravidez foi acompanhada de perto e o bebê nasceu por cesariana.

 

Segundos após seu nascimento, os médicos envolveram a criança e seus órgãos em uma película aderente para mantê-los próximos e evitar infecções. Ela então foi imediatamente levada para uma operação de recolocação do intestino. Os cirurgiões também criaram uma cicatriz que deverá se parecer com um umbigo, pois ela nasceu sem um.

 

gastrosquise_01

 

Agora, ela está finalmente em casa com seus pais e sua irmã de cinco anos, Elouise, em ótima recuperação. “Ouvir os primeiros gritos de Maisie foi um alívio, assim que eu a ouvi, comecei a chorar também. Eu consegui ter um vislumbre dela, mas logo que ela nasceu toda a equipe começou a envolver seus órgãos em filme plástico e, em seguida, ela foi levada direto para a cirurgia. Felizmente ela foi um enorme sucesso e não posso agradecer ao cirurgião e à equipe o suficiente por terem salvo vida de minha garotinha”, relatou a mãe.

 

Segundo os relatos de Chloe, eles conseguiram reinserir os seus intestinos e foram muito competentes por fazer a cicatriz do umbigo. “A primeira vez que a vi corretamente foi incrível, mas de partir o coração. Seu corpo minúsculo estava ligado a tantas máquinas, e como sua mãe, tudo o que eu queria fazer era ajudá-la, mas eu não podia. Foi um momento incrível para nós quando finalmente pudemos trazê-la para casa, ela é a nossa pequena lutadora e está se superando diariamente”, completou ela.

 

[click_to_continue]

gastrosquise

 

A Gastrosquise

 

A condição faz com que a parede abdominal não se forme completamente, tornando possível a extrusão de vísceras abdominais, como estômago e intestinos. Não se sabe exatamente o que causa a Gastrosquise, mas a condição está se tornando cada vez mais comum, especialmente em mulheres mais jovens, com idade inferior a 20 anos. A condição aparece quando o feto possui cerca de seis semanas de idade, quando a parede abdominal é fechada, deixando os órgãos no exterior do corpo.

 

No caso de Chloe Tobin, ela tinha acompanhamento médico a cada quatro semanas como medida de precaução, antes de ser levada às pressas para fazer a cesariana, duas semanas antes de sua data estipulada de parto.

 

No Reino Unido, onde ocorreu o caso da pequena Maisin, dados estimam que cerca de um em 3.000 bebês nasça com a doença a cada ano. Assim que a criança nasce, a condição requer tratamento imediato. Dentro de algumas horas após o nascimento, o bebê é normalmente transferido para um hospital especializado em crianças.

 

O primeiro passo realizado pelos médicos, normalmente, é embrulhar os intestinos expostos em um tipo de película aderente para reduzir a perda de calor e de fluido. Ele também atua para proteger os intestinos de danos externos.

 

Assim que a saúde do bebê for estabilizada, ele passa por uma operação para colocar os intestinos de volta no abdômen, fechando a parede abdominal cirurgicamente. Podem ser necessárias várias operações, até que o processo seja completado.

 

Em alguns bebês, seus intestinos se recuperam e começam a funcionar corretamente, o que lhes permite iniciar uma alimentação normal. Em outros casos, os intestinos podem experimentar muitos danos durante o processo, necessitando de tratamento posterior.