Cientistas usaram raios-X para estudar esta famosa obra. Vê o que descobriram

Cientistas usaram raios-X para estudar esta famosa obra. Vê o que descobriram

 

John Dee é uma figura misteriosa e controversa na história da ciência. Ele foi pioneiro nas áreas da matemática, astronomia, geografia ciência durante a dinastia Tudor na Inglaterra no século 16, e trabalhava para a rainha Elizabeth I.

 

Mas, nos seus estudos revolucionários, a obra de Dee é atada com ideias do ocultismo, anjos, demônios e do sobrenatural.

 

Usando uma análise de raios-X numa famosa pintura de Dee pelo artista vitoriano Henry Gillard Glindoni (acima), os pesquisadores revelaram os dois lados do erudito do século 16.

 

A análise olhou por baixo da camada superficial da tinta e revelou que a pintura, que mostra Dee atuando para a rainha Elizabeth I, originalmente apresentava um círculo de crânios humanos.

 

 

A imagem de raios-X foi encomendada para um evento gratuito no Royal College of Physicians que começou ontem (18 de janeiro) e vai até julho desse ano em Londres. A exposição contará com pinturas de Dee, junto com um olhar inédito de seus textos matemáticos, astronômicos e alquímicos escritos à mão.

 

Falando ao Guardian, o organizador da exposição Katie Birkwood disse: “Ele é uma das figuras mais interessantes e enigmáticas desse período da Inglaterra, e estamos explorando isso com vista sobre se ele é um estudioso, cortesão ou mágico. Ele é tudo isso e ainda mais. “

 

Por que os crânios foram removidos da pintura final é desconhecido. No entanto, Birkwood sugere que foi a pedido da pessoa que encomendou a pintura, talvez nervosa com o conteúdo mórbido.

 

Esta não é a primeira vez que tal tecnologia foi usada para revelar as profundezas secretas de obras de arte. No mês passado, os pesquisadores usaram uma técnica chamada Método de Amplificação de Camada (LAM) para revelar um “retrato escondido” atrás de Mona Lisa, de Leonardo da Vinci.

 

Fonte: IFLScience