Grandes cientistas negros que se calhar não conheces que foram demasiado importantes para a humanidade

Scientist examining laboratory samples

Grandes cientistas negros que se calhar não conheces que foram demasiado importantes para a humanidade

 

Neil Degrasse Tyson

 

1

 

Neil deGrasse Tyson (Bronx, EUA, 1958) é um dos divulgadores científicos mais reconhecidos do mundo. Este astrofísico assumiu o lugar de Carl Sagan à frente da nova versão da série Cosmos, programa de sucesso que despertou vocações científicas no mundo inteiro. Tyson estudou no Instituto de Ciência do Bronx (Nova York), um centro público de ensino médio muito selectivo e especializado em matemática e ciência. Ao final do curso, o próprio Carl Sagan chamou-o para que fosse visitá-lo, com a intenção de contratá-lo para sua universidade, Cornell. Tyson preferiu Harvard, mas diz que descobriu em Sagan “o tipo de pessoa em que queria me transformar”.

 

Tyson dedica-se a tornar teorias complexas e mistérios universais mais acessíveis para leigos, ou seja, a grande maioria da humanidade. Por exemplo, se recentemente ficaste perdido na complexidade da física envolvida no filme Interestelar, Tyson explica a validade de algumas teorias e desmitifica o que é pura ficção.

 

Patricia Bath

 

2

 

Patricia Era Bath, nascida em 1942 em Nova York, é uma oftalmologista, inventora e académica. Quebrou barreiras para mulheres e afrodescendentes em várias áreas. Bath nasceu em 1942, e concluiu o ensino médio em apenas dois anos, apenas um dos louvores na sua carreira intelectual astronómica. Antes de Bath, nenhuma mulher havia servido no Instituto Oftalmológico Jules Stein, liderado um programa de estudos em oftalmologia ou eleita membra honorária do centro médico da Universidade da Califórnia. Ela também foi a primeira pessoa negra a actuar como residente em oftalmologia na Universidade de Nova York e a primeira mulher negra também a actuar como cirurgiã na Universidade da Califórnia.

 

Patricia Bath melhorou a qualidade de visão de várias gerações devido à sua invenção para o tratamento das cataratas. Em 1981, criou o seu evento mais famoso: um tratamento a laser para catarata menos doloroso para os pacientes. Com o invento, ela conseguiu restaurar a visão de pacientes que eram cegos há cerca de 30 anos. Bath é também a primeira mulher negra a receber uma patente médica, em 1998, e desde a sua aposentadoria em 1993 ela continua a advogar para a população desfavorecida, e concentra esforços no uso da tecnologia para oferecer serviços médicos em lugares remotos.

 

Percy Julian

 

3

 

Percy Julian nasceu a 11 de abril de 1899 em Birmingham, Alabama, um dos seis filhos. O pai, um caixeiro de correio da estrada de ferro e a mãe, uma professora salientou educação aos seus filhos. Este enfase acabaria por se revelar um sucesso visto os dois filhos terem se tornado médicos e as três filhas fizeram mestrados, mas era filho Percy que se tornaria o maior sucesso dos filhos

 

Julian enfrentou muitas barreiras durante a carreira, sendo negado uma posição como investigador porque uma lei impedia negros de passarem a noite fora, mas isso não impediu que o trabalho lhe rendesse muitos frutos. A pesquisa do composto do grão de soja levou-o a várias patentes e medicações pioneiras como versões sintéticas da hormona progesterona e o esteroide cortisona, usado para tratar a artrite reumatoide. Ele também inventou uma espuma que retarda o fogo, que foi amplamente utilizada durante a Segunda Guerra Mundial.

 

Aos 62, já havia formado e vendido a sua empresa privada, a Julian Laboratories, por mais de dois milhões de dólares, e continuou a trabalhar como investigador e consultor até à sua morte, em 1975.

 

Charles Henry Turner

 

4

 

Charles Henry Turner, um zoólogo e estudioso, foi a primeira pessoa a descobrir que os insectos podem ouvir e alterar o comportamento com base na experiência anterior.

 

Nascido em 1867 em Cincinnati, Ohio, Charles Henry Turner era um cientista Afro-Americano pioneiro e estudioso. Entre as suas realizações mais notáveis, Turner foi o primeiro americano Africano a receber um Ph.D. em zoologia pela Universidade de Chicago, e a primeira pessoa a descobrir que os insectos podem ouvir e alterar o comportamento com base na experiência anterior. Ele morreu em Chicago, Illinois, em 1923.

 

Após a sua morte, uma escola para alunos negros deficientes recebeu o seu nome. A maior parte de seus estudos foi realizada sem espaço laboratorial ou assistentes de pesquisas, mas mesmo assim a sua pesquisa mudou a maneira como os cientistas entendem as espécies invertebradas. Apesar da sua morte, os métodos de Charlie Henry Turner ainda hoje são usados.

 

Mae Jemison

 

5

 

Mae Carol Jemison (Decatur, Alabama 17 de outubro de 1956) é uma médica e ex-astronauta norte-americana. Participou da missão STS-47 como especialista de missão a bordo do vaivém espacial Endeavour. Em 1992 tornou-se a primeira astronauta de origem africana a ir ao espaço após 5 anos de treino.

 

Conduziu experiências médicas, analisando células ósseas

 

Em 1993, saiu da NASA para começar a sua própria companhia, chamada The Jemison Group Inc., que realiza trabalhos na àrea de ciências e tecnologia, além de trabalhar em importantes projectos de tecnologia da medicina como presidente e fundadora da corporação BioSentient. Segundo seu site pessoal, actualmente a doutora viaja pelos Estados Unidos dando palestras e curte dançar, jogar cartas e gatos.

 

Ernest Everett Just

 

6

 

Nascido a 14 de agosto de 1883, em Charleston, Carolina do Sul, Earnest Everett foi “apenas” um biólogo Afro-Americano e educador que foi pioneiro em muitas áreas da fisiologia do desenvolvimento, incluindo a fertilização, partenogénese experimental, hidratação, a divisão celular, a desidratação em células vivas e efeitos de radiação ultravioleta cancerígenas nas células. Trabalhou como instrutor de biologia na Universidade Howard antes de tornar-se o primeiro negro a receber o título de Ph.D. da Universidade de Chicago em embriologia experimental. Uma de suas principais descobertas é o reconhecimento do papel fundamental da superfície da célula no desenvolvimento dos organismos.

 

Frustrado com o racismo que o impedia de ser contratado pelas grandes universidades americanas, Just mudou-se para a Europa em 1930. Lá, escreveu setenta estudos científicos e publicou dois livros. Além desse grande legado, Ernest Everett Just marcou a sociedade da época pela sua habilidade em conquistar um nível superior de educação apesar dos obstáculos raciais que enfrentou. Just morreu em 1941, por decorrência de um cancro no pancreas.

 

George Washington Carver

 

7

 

George Washington Carver (Diamond, janeiro de 1864 – Tuskegee, 5 de janeiro de 1943) foi um botanico, inventor, cientista e agrónomo norte-americano.

 

Botânico e inventor George Washington Carver foi um dos muitos filhos de Maria e Giles, um casal escravizados propriedade de Moses Carver. Ele nasceu durante os anos da Guerra Civil, provavelmente em 1864. Uma semana depois do seu nascimento, George foi seqüestrado junto com a irmã e mãe da fazenda Carver por invasores do estado vizinho de Arkansas. Os três foram vendidos em Kentucky, e entre eles apenas o infante George foi localizado por um agente de Moisés Carver e voltou ao Missouri.

 

Os maiores feitos de George Washington Carver foram na área da botanica. No período após a Guerra Civil, várias famílias negras viviam em pequenas fazendas subsistindo da agricultura, principalmente do algodão. Carver desenvolveu um método rotativo de colheitas alternativas, como amendoins, soja e batata doces, que, além de diminuir a dependência do algodão, contribuía para a nutrição dessas famílias. Ele também criou várias invenções para tornar as atividades de campo menos pesadas e mais lucrativas. Carver raramente patenteava os inventos, escolhendo dividir as suas ideias de graça. Entre os seus feitos, o mais popular foi a descoberta de cerca de cem produtos derivados do amendoim úteis para fazendas e lares, como cosméticos, tinturas, plástico, gasolina e nitroglicerina. Carver serviu como consultor de assuntos agrícolas no governo do presidente Theodore Roosevelt e faleceu em 1943, aos 78 anos.

 

Lonnie G. Johnson

 

8

 

Lonnie G. Johnson é um ex-engenheiro da Força Aérea e NASA que inventou a arma imensamente popular água pistola d’água.

 

engenheiro e inventor Afro-Americano Lonnie G. Johnson nasceu no Alabama, em 1949. Obteve o mestrado em engenharia nuclear da Universidade de Tuskegee, e passou a trabalhar para a Força Aérea dos EUA e do programa espacial da NASA. Depois de mexer com a invenção de uma arma de alta potência de água, de Johnson pistola d’água tornou-se um item de mais vendido no início dos anos 1990. Ele já foi desenvolvendo a Johnson Termelétrica Energia Converter (JTEC), um motor que converte calor diretamente em eletricidade.

 

Fontes: El Pais e Abril