Médicos encontram gemeo no cérebro de uma mulher

Médicos encontram gemeo no cérebro de uma mulher

 

Uma mulher de Indiana, nos EUA, teve um tumor removido de seu cérebro. Até aí nada demais. Mas o que chocou os médicos foi saber que o tumor era na verdade os restos de um gêmeo que nunca se desenvolveu. O fenômeno é incomum, mas não tão raro quanto se poderia esperar.

 

Créditos da foto: Instituto Craniano via NBC. O cérebro de Yamini Karanam com um ponteiro laser marcando o local de seu teratoma.

 

Yamini Karanam não tinha ideia de que ela poderia ter tido uma irmã gêmea. No entanto, enquanto estudava para o seu doutorado na Universidade de Indiana, ela começou a perceber lapsos cognitivos que não haviam ocorrido antes: “Problemas com a compreensão de leitura e auditiva. Se um casal de pessoas estava conversando em uma sala, eu não entendia o que estava acontecendo”, disse Karanam à NBC.

 



 

Especialistas discordaram sobre a origem do problema e se algo poderia ser feito. As investigações de Karanam levaram ao Dr. Hrayr Shahinian, do Instituto Craniano em Los Angeles. Shahinian usa técnicas minimamente invasivas para remover tumores cerebrais.

 

“Ao contrário de uma cirurgia tradicional no cérebro, onde você abre o crânio e usa retratores de metal, você usa um microscópio para ver suas profundezas; o que estamos fazendo é a cirurgia do buraco da fechadura”, explicou Shahinian. Embora este tipo de cirurgia no cérebro tenha sido realizado milhares de vezes, o que Shahinian descobriu quando removeu o tumor de Karanam foi surpreendente.

 

O tumor de Karanam era um teratoma, que ela chama de “o irmão gêmeo do mal que me torturou por 26 anos.” Os teratomas se formam a partir de camadas germinativas que não conseguem desenvolver-se adequadamente. Em vez de se separar, o gêmeo nos estágios iniciais de desenvolvimento se aloja no outro. A maioria dos teratomas são feitos de tecidos não estruturados a partir de órgãos específicos. Alguns contêm elementos corporais simples, como cabelo, dentes ou ossos. Em casos mais raros, órgãos inteiros ou membros se desenvolvem sem um corpo para se anexar.

 

 

Teratomas podem ser malignos, mas a maioria, incluindo o de Karanam, são benignos. Consequentemente, espera-se uma recuperação completa. Teratomas também podem aparecer em várias partes do corpo, embora os ovários, testículos e cóccix sejam particularmente comuns. [IFLScience]