Onde foram gravados os filmes indicados aos Oscars de 2016

Onde foram gravados os filmes indicados aos Oscars de 2016

 

Da Terra do Fogo à gelada Wall Street, descubra os lugares onde foram gravados os filmes que vão concorrer aos Oscars este ano!

 

Está tudo pronto na Academia de Cinema Americano para receber astros e estrelas de Hollywood. Atores e atrizes, diretores e diretoras, escritores, roteiristas, músicos e maquiadores, todos ansiosos para levar para casa a tão cobiçada estatueta dourada. Mas antes, eles tiveram que pegar um avião para rodar outros filmes que os levarão ao tapete vermelho deste ano.

 

O Regresso – Argentina, Canadá e Estados Unidos

 

1

 

Este filme foi muito difícil para filmar, ou pelo menos é isso que conta Leonardo DiCaprio, astro de “O Regresso”. O diretor exigiu duas condições antes de começar.

 

A primeira era que cada cena do filme fosse exclusivamente ao ar livre. E segundo, que fosse usada somente luz natural, o que deixou a equipe com apenas uma hora e meia por dia para filmar, considerando a longa viagem para chegar à locação remota e o tempo que leva para ter todo o material técnico pronto. O filme demorou um ano para terminar.

 

Todos estes desafios fazem deste filme a melhor vitrine para mostrar a magia de lugres tão inexplorados como a Terra do Fogo e, em particular, a beleza de tirar o fôlego de algumas ilhas do sul da Argentina, já na Antártica. Um lugar que combina espetaculares geleiras, rios largos e tempestuosos, montanhas altíssimas e mar profundo. Não perca “O Regresso” e deixe-se seduzir por suas paisagens épicas.

 

Spotlight – Toronto, no Canadá, e Boston, nos Estados Unidos

 

2

 

“Spotlight” foi gravado em Toronto, no Canadá. Esta cidade tem a capacidade de imitar muitas capitais dos Estados Unidos e nenhuma em particular. Tudo depende de como enquadra-la e da iluminação. Um truque de mágica que o cinema americano guarda na manga quando não quer que o orçamento dispare (aparentemente é mais barato filmar no Canadá do que nos Estados Unidos).

 

Desta vez, Toronto está disfarçada de Boston, uma das cidades do mundo onde mais floresce na primavera. Não deixe de visitar o Parque Franklin, o maior da cidade e um tesouro verde que deixam os bostonenses orgulhosos. A história de “Spotlight”, no entanto, é mais funesta. O filme retrata um caso real de pedofilia dentro da Igreja Católica. Vamos ver se ele leva o Oscar de melhor filme.

 

>

Perdido em Marte – Budapeste, na Hungria, Jordânia, e NASA, nos EUA

 

3

 

No caso de você não ter adivinhado, este filme se passa no planeta Marte e como enviar uma equipe para 55 milhões de quilômetros da Terra é, digamos, pouco operacional, o desafio era encontrar um lugar próximo e que simulasse ser o planeta vermelho.

 

O Vale da Lua, na Jordânia, foi o local escolhido para filmar “Perdido em Marte”, já que guarda uma estranha semelhança com a paisagem marciana. Trata-se do sul do deserto do país, onde há magnificas formações rochosas de granito. Ao contrário de Marte, o Vale da Lua é habitado por simpáticos beduínos que vão te ensinar os segredos por trás deste canto da Jordânia.

 

Wadi Rum, como é conhecido o local, porém, não é o único espaço que aparece no filme indicado ao Oscar. A sala de controle da Nasa, no Texas, onde o lançamento do foguete é monitorado, também faz uma aparição no filme.

 

A Ponte dos Espiões – Potsdam e Berlim, na Alemanha

 

4

 

A Ponte de Glienicke é muito conhecida em Berlim, e agora, em todo o mundo, graças a este filme indicado ao Oscar de 2016, por ser o cenário da troca de espiões durante a Guerra Fria. Este lugar, com vista para Potsdam, é uma das paisagens mais bonitas do país.

 

A cidade também é coberta de parques e palácios magníficos que tiram o fôlego de qualquer um. Talvez um dos edifícios mais curiosos de todos, e que serve de pano de fundo para “A Ponte dos Espiões” e a Tom Hanks, seja a Torre de Einstein, um estranho e curioso observatório construído no parque cientifico do matemático e que serviu para seus estudos sobre a teoria da relatividade. Não perca!

 

[click_to_continue]

A Grande Aposta – Nova Orleans, Luisiana e Nova Iorque, nos EUA

 

5

 

Os bancos e seus truques têm sido responsáveis pela maior crise imobiliária e financeira que atingiu o mundo. Ou pelo menos essa é a ideia sobre a qual gira o enredo de “A Grande Aposta”, outro filme que concorre ao Oscar 2016.

 

Como não poderia deixar de ser, a história transcorre em Wall Street, em Nova Iorque. O famoso distrito financeiro é o palco do filme com seus edifícios redondos e homens de terno correndo pela rua. Argiers, um dos mais antigos bairros de Nova Orleans, também aparece na produção, mostrando a magia com suas casas coloniais e também o rio Mississipi, corrente abaixo.

 

Brooklyn – Enniscorthy, na Irlanda

 

6

 

“Brooklyn” conta uma história que se passa entre a bela Irlanda, lar da Ilha Esmeralda na velha Europa, e Nova Iorque, a imponente metrópole americana. Enniscorthy, uma das cidades mais antigas da Irlanda, na região de Wexford, tem o papel de protagonista. E não é para menos.

 

Esta cidade litorânea é de se apaixonar. Se você quiser visitar castelos com árvores centenárias que cobrem a aldeia, este é o seu lugar. Também aparecem no filme a famosa e colorida Coney Island, um lugar cheio de atrações e exposições que irão deliciar os mais jovens e também os não tão jovens assim.

 

O Quarto de Jack – Toronto, no Canadá

 

7

 

Sem revelar a história ou tirar muito da surpresa mágica do que está por vir, este filme se passa quase inteiramente do lado de fora do quarto. “O quarto de Jack” retrata um mundo com locações deslumbrantes e enquadramentos feitos com muito cuidado. Filmado inteiramente em Toronto, revela o mundo em seu estado mais puro, mais otimista, mais vital.

 

Se você quer viver como faz o protagonista, com papeis novos e um novo olhar, comece nesta cidade. Toronto é um dos lugares mais ecléticos e multiculturais do mundo, com muitos museus, galerias e teatros para os mais urbanistas. Mas há também espaço para os mais aventureiros, em seus mais de oito mil hectares de parques e campos de golfe. Nossa recomendação, bem como a do protagonista de “O quarto de Jack”, é que você também dê uma volta pela praia.

 

Mad Max: Estrada da Fúria – Deserto da Namíbia e Nova Gales do Sul, na Austrália

 

8

 

Em um mundo onde tudo o que se alcança com a vista é o sol e a areia, onde as pessoas se matam por água e gasolina, tudo o que se busca é a sobrevivência. Chegamos ao fim dos dias e não há melhor cenário na terra que retrate o apocalipse do que um bom deserto. Carros, caminhões e outras máquinas a motor do filme indicado ao Oscar “Mad Max: Estrada da Fúria” correm livremente pelo deserto da Namíbia.

 

Este é um pedaço de terra de formas e contrastes quase inacreditáveis. Com solo vermelho, o deserto começa no litoral e se estende por milhares de quilômetros quadrados até o centro do país. Aqui, sem dúvida, as paisagens não te deixarão indiferente, e nem este filme.

 

Carol – Ohio, nos Estados Unidos

 

9

 

Este filme que conta a história de amor entre duas mulheres foi rodado no mais profundo das Américas. A excepcional Cate Blanchett, indicada ao Oscar de 2016 por este papel, caminha com graça excepcional e elegância pelas ruas do centro e parques fabulosos de Cincinnati.

 

Não deixe de visitar também esta cidade com paisagem urbana única no mundo. Cincinnati tem uma complexa rede de corredores internos e passarelas ao ar livre que ligam seus edifícios mais importantes. Do alto da Torre Carrew você terá uma inesquecível vista panorâmica da cidade.

 

[click_to_continue]

Joy – Boston, Massachusetts, nos Estados Unidos

 

10

 

“Joy” é a história de uma mulher que se fez sozinha. De uma mulher que tem tudo a perder e pouco a ganhar, e que decide arriscar tudo. Uma mulher que acredita em si mesma e levantou um império a partir do nada.

 

O filme é baseado na vida de Joy Mangano, uma multimilionária criadora de vários inventos para o lar. O filme só muda uma pequena coisa: o lugar. Enquanto a verdadeira Joy Mangano reside em torno de Nova York, a ficção colocou sua casa em uma aldeia nos arredores de Boston. Uma locação com casas de tijolos, belas varandas e amplas avenidas: Salem. O lugar perfeito para retratar a classe média americana que vive com uma única ilusão: realizar o sonho americano.

 

A Garota Dinamarquesa – Noruega, Alemanha, Reino Unido, Bélgica e Dinamarca

 

11

 

“A Garota Dinamarquesa” compete para ganhar o Oscar 2016 de melhor ator. O já vencedor do Oscar, Eddie Redmayne desempenha o papel de uma menina presa no corpo de um homem, na Dinamarca dos anos 30. Para o filme foram escolhidos diferentes pontos da geografia europeia como Bruxelas e Berlim. Mas talvez um dos lugares mais emblemáticos de todo o filme seja Nyhavn, um canal com casas de fachadas coloridas e atmosfera animada em Copenhague.

 

Dê um passeio por este lugar como fez a estrela de “A garota dinamarquesa” e aproveite para tomar um drinque em um dos milhares de terraços espalhados pelo lugar.

 

 

Qual dos filmes você acredita que levará o Oscar? Deixe um comentário e compartilhe sua opinião.