TOP 10 curiosidades que não sabias sobre Albert Einstein

TOP 10 curiosidades que não sabias sobre Albert Einstein

Apesar de ser um dos maiores cientistas da história, Albert Einstein é alvo de histórias distorcidas, mitos e desinformações sobre sua vida.

Alguns fatos muito interessantes sobre sua vida jamais são lembrados, enquanto outros, mesmo sendo falsos, continuam circulando pela internet.

Conheça agora 10 curiosidades incríveis sobre o físico Albert Einstein, um dos pais da Ciência moderna:

1 – Ele brigou pela autoria da Teoria da Relatividade Geral

Pode parecer algo improvável, mas Einstein, um alemão naturalizado norte-americano, foi acusado de plagiar a Teoria da Relatividade Geral de outro cientista, o alemão David Hilbert. Ambos trocavam acusações e as pessoas começaram a acreditar que os dois, de forma independente e aleatória, teriam chegado à mesma conclusão e seria uma coincidência.

Mesmo com Hilbert apresentando um artigo 5 dias antes de Einstein, historiadores descobriram que o alemão havia copiado várias ideias de Einstein sem dar-lhe o devido crédito. Hilbert, alguns meses depois, tentou alterar seu artigo para disfarçar o erro, mas já era tarde demais. Além de comprovar o feito, foi descoberto que Einstein havia publicado suas ideias bem antes.

2 – Einstein nunca foi um mau aluno

Você já deve ter ouvido que Einstein, na infância, era um péssimo aluno e foi reprovado no Ensino Médio. Porém, isso não passa de um mito. Na verdade, ele era tão bom em matemática que apenas aos 12 anos já estudava cálculos complexos e, aos 15, havia começado a escrever princípios básicos de sua famosa Teoria da Relatividade.

O mito surgiu por conta das diferenças no sistema de notas percebido quando ele mudou de uma escola alemã para uma suíça, que usava os números de forma inversa (1 era a nota máxima e 6 era a mínima, ao contrário do que acontecia antes). Em seu vestibular para a Escola Politécnica Federal da Suíça, ele realmente não foi bem e não conseguiu passar de primeira. Einstein gabaritou seus testes de Matemática e Física, mas foi mal em diversos assuntos não-científicos, especialmente francês.

3 – Invenções incríveis

Einsten, durante sua vida, recebeu o crédito por diversas invenções, como a geladeira que criou com o físico Leo Szilard, que funcionava sem a necessidade de eletricidade. A refrigeração acontecia por um processo de absorção com alterações de pressão entre gases e líquidos, reduzindo a temperatura.

Em 1.800, os compressores mecânicos em geladeiras poderiam ter selos defeituosos que permitiam o vazamento de gases tóxicos, como o dióxido de enxofre e clorometano, e Einstein teve a ideia de criar a geladeira para os alimentos após saber da morte de uma família alemã que inalou gases tóxicos após o vazamento de um frigorífico. Einstein também inventou uma bomba e uma blusa. A blusa tinha duas linhas de botões paralelas, o que tornava a vestimenta adequada para uma pessoa magra ou para uma pessoa gorda.

4 – Einstein salvou um amigo que teria encontrado uma brecha na Constituição para tornar os EUA uma ditadura

Kurt Godel foi um dos cientistas que fugiu para os EUA dos territórios tomados pelos nazistas na Segunda Guerra Mundial, mas, diferentemente de Einstein, estava com dificuldades para conseguir a cidadania americana. Certa vez, ele finalmente foi convidado para uma entrevista com um Juiz e precisou levar dois amigos para comprovar sua conduta: Oskar Morgenstern e Einstein. Godel havia estudado muito para a entrevista, que foi conduzida pelo Juiz Phillip Forman, coincidentemente, um amigo de Einstein.

Durante a conversa, que já estava informal, o Juiz expressou alívio pelo fato dos EUA não ser e nunca poder se tornar uma ditadura. Neste momento, Godel contestou, dizendo que a possibilidade existia por conta de uma brecha na Constituição do país. Quando ele ia explicar melhor sobre isso, Einstein interrompeu e mudou de assunto, para salvar sua cidadania, que foi autorizada. Morgenstern escreveu sobre isso em seu diário, encontrado alguns anos após sua morte, mas lá não está relatada qual seria a brecha dita por Godel. Especulações afirmam se tratar do artigo V, que permite alterações na Constituição, podendo levá-la à decadência.

5 – Einstein era um espião soviético, de acordo com o FBI

O FBI espionou Albert Einstein de 1933, quando ele entrou nos Estados Unidos, até sua morte, em 1955, interceptando telefonemas, correspondências, lixo e até mesmo seguindo seus passos. Tudo isso pensando que ele fazia parte da espionagem da União Soviética. Em parceria com o Serviço de Imigração e Naturalização, o FBI tentava encontrar uma razão para deportá-lo, acreditando que ele era ou um radical contra o governo ou um comunista, por conta de suas opiniões políticas e ligações com grupos pacifistas e de direitos humanos.

Antes de Einstein chegar aos EUA, uma instituição chamada Woman Patriot Corporation mandou uma carta de 16 páginas ao Departamento de Estado para protestar contra sua entrada no país, afirmando ligações do físico com Stalin. O Departamento de Estado chegou a perguntar as posições políticas de Einstein durante sua entrada, que, bastante irritado, alegou que sua vinda foi um pedido do povo americano e que não iria tolerar ser tratado como um suspeito.

Albert-Einstein-foto-colorida


6 – Einstein participou da criação da Bomba Atómica, mas se arrependeu por isso

A princípio, Einstein não participou e nem participaria do Projeto Manhattan, o programa do governo dos EUA que criou as primeiras bombas nucleares durante a Segunda Guerra Mundial. Mas o físico queria muito se envolver com o projeto, inclusive assinando uma petição ao presidente Franklin Roosevelt para que pudesse desenvolver a bomba atômica com o físico Leo Szilard.

Embora ele soubesse do poder destrutivo da bomba atômica, ele temia que os alemães fizessem a bomba primeiro. Porém, quando o físico soube que os EUA haviam lançado uma bomba atômica sobre Hiroshima, no Japão, ele se arrependeu de forma veemente. Einstein confessou, alguns anos depois, que jamais teria assinado a carta se soubesse que os alemães nunca fariam a bomba mortal.

7 – Filho de Einstein tinha esquizofrenia

Nascido em 1910, Eduard era o segundo filho de Einstein com sua esposa Mileva Maric. Eduard (apelidado de Tete) ficou doente muitas vezes durante a infância e aos 20 foi diagnosticado com esquizofrenia. Mileva, que havia se divorciado de Einstein em 1919, ficou com a guarda de Eduard, mas depois colocou-o em um hospital psiquiátrico, onde foi diagnosticado com a doença. A irmã de Mileva sofria de esquizofrenia, e Tete tinha comportamentos semelhantes, que Einstein já conseguira relacionar com a condição.

Um ano depois de Tete ser internado, Einstein fugiu da Alemanha para os EUA, e mandava cartas para Tete esporadicamente. O conteúdo das cartas, geralmente, era para dar força ao jovem. Em uma das cartas, Einstein compara as pessoas com o mar, dizendo que ambos podem ser “mansos e amigáveis” ou “tempestuosos e complicados”.

Na mesma carta, ele dizia que na primavera seguinte gostaria de vê-lo, mas ele não contava com a eclosão da Segunda Guerra, que fez com que o físico jamais visse Eduard novamente. Mileva morreu em 1948 e Tete permaneceu no hospital por mais nove anos. Apesar de ficar oito anos com uma família, retornou ao hospital após a mãe adotiva adoecer e morrer em 1965.

8 – Seu maior vício era o cachimbo

As duas coisas de que Einstein mais gostava eram: seu violino e seu cachimbo. O físico era um fumante ávido e acreditava que fumar era necessário para manter a calma e auxiliar em “julgamentos objetivos”. Porém, após problemas pulmonares, seu médico lhe disse para abandonar o hábito, mas como Einstein não conseguiu se livrar tão facilmente do vício, ele colocava um cachimbo apagado na boca e apenas fingia fumá-lo.

Além de diversos manuscritos e cartas recuperadas de Einstein, um tubo de cachimbo mastigado é um dos poucos itens pessoais recuperados do físico. Ele havia dado o objeto para Gina Plunguian, uma amiga escultora que havia feito um busto de Einstein.

9 – Ele era apaixonado por mulheres

Einstein era considerado bastante mulherengo. Ele usava quase todo seu tempo vago para divertir-se na companhia de belas mulheres, de acordo com os registros em suas cartas. Em uma entrevista à NBC News, Hanoch Gutfreund, presidente do Albert Einstein Worldwide Exhibition, na Universidade Hebraica, descreveu o casamento de Einstein com sua segunda esposa, Elsa, como um “casamento de conveniência”.

Segundo ele, os registros mostram que Einstein, ao contrário do que se pensa, não era um pai e marido tão ruim, mas foi sincero com sua esposa, Elsa, quando disse que não conseguiria ficar com apenas uma mulher, revelando seus casos extraconjugais. Ele escreveu diversas cartas sobre as mulheres que se aproximavam dele com a chamada “atenção indesejada”, provavelmente citando interesses. Acredita-se que ele tinha pelo menos seis namoradas, enquanto estava casado, incluindo Estella, Ethel, Toni e Margarita.

10 – Einstein cometeu um grande erro

Einstein foi um cientista brilhante, inegavelmente, mas ele não era perfeito. Na verdade, ele teve, pelo menos, sete erros nas suas várias provas de E=mc2. No entanto, em 1917, ele cometeu, segundo suas próprias palavras, “o maior erro de sua vida”. Ele acrescentou a constante cosmológica, representada pela letra grega lambda, às equações da sua Teoria da Relatividade Geral, representando uma força de luta contra a atracão de gravidade. Einstein acrescentou lambda porque a maioria dos cientistas acreditava que o Universo era estacionário ao tempo.

Algum tempo depois, Einstein removeu a constante quando descobriu que suas equações anteriores estavam corretas e o Universo estava realmente em expansão. Porém, em 2010, os cientistas revelaram que as equações com lambda poderiam estar certas, podendo explicar a “energia escura”, uma força teórica que neutraliza a gravidade e provoca a expansão do Universo em um ritmo acelerado. Portanto, mesmo o “maior erro” de Einstein poderia fazer sentido.

Gostaste deste artigo? Então partilha com os teus amigos nas tuas redes sociais.

Vê também:

Já ouviste a voz de Albert Einstein?

Entendendo a Teoria da Relatividade de Einstein

10 curiosidades sobre Stephen Hawking, um dos cientistas mais inspiradores de todos os tempos

Qual é a diferença entre uma bomba de hidrogénio e uma bomba atómica?