Tsunamis são ondas gigantes? Mas afinal o que é que isso significa?

Tsunami são ondas gigantes? Mas afinal o que é que isso significa?

 

O que de facto significa dizer que tsunamis são ondas gigantes? Significa que eles terão sempre amplitudes enormes comparadas com as outras ondas marítimas?

 

Para que uma onda seja designada como tsunami, ela tem que ser GIGANTE em comprimento de onda. Os tsunami em mar alto tem comprimentos de onda de no mínimo 10 km, podendo chegar a centenas de quilómetros.

 

Tsunami é uma palavra japonesa que designa ondas geradas em oceanos, mares, baías, lagos, a partir ou de movimentos sísmicos, ou de vulcanismo, ou de deslizamento de terra submarino, ou de impacto de meteorito, ou até de fenómenos meteorológicos (BRYANT, 2001).

 

O que distingue os tsunamis de outras ondas na superfície da água são os períodos das oscilações da água. Enquanto em uma onda marítima “normal” podem ocorrer períodos de até algumas dezenas de segundos, em um tsunami este tempo atinge alguns minutos ou até meia-hora. Desta forma, os tsunami são ondas longas, que em alto-mar possuem entre 10 km e 500 km de comprimento de onda. Esta característica torna os tsunami muito diferentes das outras ondas, mesmo daquelas que podem ser observadas durante as tempestades.

 

Os tsunami viajam em mar profundo (onde a distância entre a superfície do oceano e o leito do oceano é 5 km) com velocidades da ordem de 800 km/h e normalmente lá possuem amplitude da ordem de metro. Quando um tsunami se aproxima da costa, encontrando então mar com menor profundidade, sua velocidade se reduz, encurtando o seu comprimento de onda proporcionalmente à nova velocidade. A velocidade do tsunami vale raiz quadrada do produto g (intensidade do campo gravitacional) por H (espessura da lâmina de água na região de propagação). A energia mecânica transportada pelo tsunami fica então distribuída sobre uma extensão espacial (comprimento de onda) menor e, consequentemente, sua amplitude aumenta.

 

tsunami2

 

Um tsunami não precisa ser gigante em amplitude (amplitude da ordem de uma dezena de metros ou mais) para produzir efeitos devastadores como os de 2004. Um tsunami eleva o nível do oceano (às vezes uns poucos metros) durante muitos minutos, produzindo então inundação da região costeira.

 

Texto escrito por: Professor Fernando Lang da Silveira (UFRGS), Propagação das Ondas Marítimas